Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

sábado, 5 de maio de 2012

A Rússia poderia destruir o sistema DAM na Europa mediante ataque preventivo.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 04 de maio de 2012.



Rússia não descarta, em caso extremo, a possibilidade de lançar um ataque preventivo e destruir as infra-estruturas de defesa anti-míssil que os EUA e outros membros da OTAN planejam instalar na Europa, advertiu hoje o general Nikolai Makárov, chefe do Estado Maior do Exército russo.


“A instalação de novas armas ofensivas no sul e noroeste da Rússia (…) incluindo a montagem de sistemas de mísseis Iskander na região de Kaliningrado representa uma das possíveis variantes para destruir a infra-estrutura de defesa anti-missil na Europa”, disse Makárov ao discursar nesta quinta-feira em uma conferencia internacional organizada em Moscow pelo Ministério russo da Defesa.



Makárov afirmou que “a decisão sobre o uso preventivo dos meios de destruição disponíveis ocorreria em um período de deterioração da situação” e considerando “o caráter desestabilizador do sistema de defesa anti-míssil (DAM) que gera a ilusão de um ataque impune para desarmar” o adversário.



Tanto Makárov como o secretário do Conselho de segurança nacional da Rússia, Nikolai Pátrushev, reconheceram hoje que o sistema DAM na Europa será capaz de interceptar até 2020 uma parte dos mísseis balísticos intercontinentais (MBI) instalados no território russo ou a bordo de seus submarinos.


Makárov recordou que os EUA planeja submeter a uma modificação sustancial seus anti-mísseis Standard-3 e por centenas de interceptores a bordo de uns 40 navios. Também fará a instalação de anti-mísseis na Polônia, muito próximo das fronteiras da Rússia.



Destacou que a segurança regional e a global formam “um todo único e indivisivel” e que a dissuasao nuclear recíproca segue desempenhando um papel importante na tarefa de garantir a estabilidade e a segurança em escala mundial.


Em 2010, a OTAN e a Rússia concordaram em colaborar no âmbito da defesa anti-míssil na Europa mas as negociações sobre o assunto se viram estagnadas porque Washington recusa-se a oferecer a Moscow garantias jurídicas de que o futuro sistema DAM não será dirigido contra o potencial russo de dissuasão nuclear.



Nesta situação, a Rússia procurará reforçar a proteção dos silos de lançamento, ocultar na medida do possível a localização dos mísseis nucleares sobre plataforma móvel, subir o grau de alerta para o uso destas armas e assegurar que as ogivas de mísseis balísticos russos sejam capazes de burlar qualquer sistema DAM. Ao mesmo tempo, propõe à OTAN avaliar conjuntamente os planos do escudo anti-míssil na Europa a partir de uma série de critérios estritos, como o número e a velocidade dos interceptores, seu alcance, localização ou capacidade de interceptar diversos foguetes, disse Makárov.



Organizada pela Defesa, a conferencia internacional “Factor DAM na formação de um novo espaço de segurança) reuniu em Moscow mais de 200 militares e especialistas de uma meia centena de países, entre eles, os 28 Estados membros da OTAN, Rússia e outros integrantes da CEI  (Comunidade de Estados Independentes) e a OTSC (Organização do Tratado de Segurança Coletiva), assim como a China, a Coréia do Sul e o Japão.

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology