Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O desejo mais estimado do Ocidente a desintegração da Rússia.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 18 de fevereiro de 2012


- É, “uma revolução” se realiza, o objetivo primário do choque será a própria Rússia. O pior pesadelo seria a desintegração da Federação Russa. Esse resultado seria a parte maior dos desejos que o Ocidente mais quer ver.

- A confiança pessoal é a razão que facilitou as relações estratégicas entre a China e a Rússia. Contudo, a fundação desses laços é construída sobre um sonho mútuo de revivificação nacional que ultrapassou os interesses que uniram o Ocidente e a Rússia. A China quer a Rússia estável. O Ocidente está no lado oposto.

“Uma Primavera Russa” ocorreria? A polícia russa deteve centenas de protestadores recentemente. Mas os protestadores pró-liberais exigiram que eles não sucumbirão a tais movimentos e continuarão mantendo protestos cada dia. Este cenário é semelhante à frase inicial da Primavera Árabe, onde o movimento revolucionário foi provocado por pequenos protestos de escala. É difícil predizer o resultado do protesto atual no escândalo da eleição na Rússia, mas tudo é possível.

Vladimir Putin enfrentará o escrutínio crescente e ficará muito mais difícil para ele resistir os desafios. Contudo, isto não é uma vitória do Ocidente. Putin, autoridade derrotada, não ganhará automaticamente a influência do Ocidente na Rússia.

O futuro da Rússia será formado segundo os seus próprios interesses. Este é o princípio estabelecido pelo seu ambiente democrático. A própria autoridade de Putin veio porque ele repôs o país para seguir o rumo. Ele salvou a Rússia da confusão e do caos que houve quando a URSS se desintegrou há duas décadas.
A relação entre eleição e autoridade de um candidato é complicada. Contudo as últimas eleições estatais da Duma não sugeriram que a compreensão da Rússia e dos seus interesses nacionais tenha ficado obscura, como durante a era Yeltsin.

As cédulas perdidas pela Rússia Unida estão agora no bolso dos Comunistas e dos Democratas Liberais, que não refletem a expansão da ideologia do Ocidente.

Os interesses russos são dominados por uma combinação de geopolítica, cultura e ambição. As diferenças e até a hostilidade entre o Ocidente e a Rússia persistirá se esses interesses contradisserem um a outro, não importa quem se senta no Kremlim.

A sociedade russa não quer sofrer este pesadelo novamente. Este assunto resultou em parte da autoridade duradoura de Putin. A unidade que a Rússia Unida pode trazer a este país é limitada, mas a unidade embaixo da democracia também não está convencendo. As lições dolorosas do passado farão os russos mais relutantes em abandonar a sua confiança na política de homem forte aos seus pares democráticos.

A Rússia sofreu muitos desafios resistentes. “As revoluções” no Oriente Médio são um cakewalk em comparação com os movimentos do antigo estado comunista experimentado. O país fez várias guinadas e voltas na escolha do seu próprio caminho.

A Rússia não é semelhante aos países varridos pela Primavera Árabe. Ele é um estado único e permanecerá assim.

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology