Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Israel preocupado com transferência de tecnologia militar dos EUA ao Brasil.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 29 de abril de 2012.


Os Estados Unidos estão intensificando seus esforços no mercado de armas na América Latina, especialmente no Brasil, e eliminam restrições à transferência de tecnologias. Estes passos levantam preocupações em Israel, sendo que poderia criar grande problemas para indústria de defesa israelita, informa o Israel Defense.


Recentemente todos os ramos da indústria de defesa de Israel têm intencificando sua presença na Ámerica Latina devido à sua grande potencial comercial. Em particular, tal empresas como Elbit Systems e Rafael entraram no mercado e ainda adquiriram várias subsidiárias no Brasil.


Entretanto, uma eliminação de restrições à transferência de tecnologias norte-americanas pode afetar negativamente o negócio dos fabricantes de sistemas de armas israelitas.


sábado, 28 de abril de 2012

O futuro da aviação militar russa.

 Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 27 de abril de 2012.



Em 2012, a base aérea de Tchernigovka, no Estremo Oriente da Rússia, será completamente reequipada. Os helicópteros antiquados Mi-8 e Mi-24 serão substituídos por novas máquinas Mi-8AMTSh e Ka-52. Inicialmente destinado para apoio das tropas especiais, o Ka-52 se torna um helicóptero de combate básico.


Os planos de começar a produção de série dos Ka-52 foram anunciados ainda em 2006, mas, na altura, esta máquina foi considerada como helicóptero futuro de apoio de destacamentos especiais, prevendo-se que no quadro da modernização a aviação militar russa receberá 70-80 Ka-52 dos 300 helicópteros de combate previstos. A maioria deveria ser constituída por Mi-28N.


Hoje em dia, a situação mudou. Na totalidade, a aviação militar da Força Aérea e da Marinha receberá cerca de 400 helicópteros de combate até 2020, dos quais já foram fornecidos 80-90 máquinas. Ao mesmo tempo, até hoje já estão encomendados cerca de 100 helicópteros Mi-28N, cerca de 50 Mi-35 (variante modernizada do Mi-24) e 140 Ka-52 para a aviação das tropas terrestres. 

Uma vez que para a aviação naval está previsto também comprar 80 helicópteros Ka-52, o número total destas máquinas irá superar 200 unidades e, deste modo, mesmo levando em conta futuras encomendas de Mi-28, os helicópteros Ka-52 não lhe cederão em número.


As discussões sobre as máquinas que deveriam ser no futuro a base de destacamentos de helicópteros de combate nas tropas terrestres começaram em 1982, ainda nos tempos soviéticos, antes dos primeiros voos dos Mi-8 e Ka-50.


As opiniões dividiam-se, mas no fim dos anos 80 a preferência foi dada ao helicóptero desenvolvido pelo Gabinete de Projeção Kamov. A seguir, houve a desintegração da União Soviética, tendo a renovação do parque de aviação das tropas terrestres sido adiada. Alguns anos antes do fim da URSS, o Gabinete de Projeção Mil demostrou um helicóptero aperfeiçoado Mi-28, com um sistema de apontamento e navegação desenvolvido, e começou a desenvolver o Mi-28N, helicóptero de combate capaz de voar em quaisquer condições climatéricas, que superava a máquina da Kamov pelas possibilidades de equipamentos.


Por seu lado, o Gabinete de Projeção Kamov, criticado frequentemente pelo K-50 (na opinião de muitas especialistas, o seu piloto não podia simultaneamente dirigir o helicóptero e utilizar eficazmente as armas), desenvolveu uma variante para duas pessoas – Ka-52. Em resultado, esta máquina foi incluída no programa estatal de armamentos, primeiro, para 2006-2015 e, posteriormente, para 2011-2020.


A produção em série de vários tipos de armamentos, muito diferentes entre si, para a mesma missão foi em tempos o pior problema da indústria militar. Muitos especialistas consideram que este erro se poderá repetir com a seleção simultânea do Ka-52 e do Mi-28 para a produção em série. Parcialmente é assim mas, no entanto, há muitos argumentos a favor desta decisão.


Em primeiro lugar, objetivamente, as máquinas Ka-52 e Mi-28 são diferentes por suas possibilidades. Considera-se que o helicóptero da Kamov é melhor adaptado para ações militares no mar (qualidade que explica a sua utilização em navios tipo Mistral) e em zonas montanhosas. Ao mesmo tempo, o Mi-28, devido a sua melhor proteção blindada e a possibilidade de instalar um radar, pode ser utilizado com eficiência contra tropas com um sistema desenvolvido de Defesa Antiaérea.


Ao mesmo tempo, os Ka-52 e Mi-28 têm muitas caraterísticas comuns: tanto as unidades de propulsão como os armamentos, o que diminui o número de potenciais problemas ligados à manutenção simultânea de duas máquinas.


Contudo, a situação econômica e política na Rússia influi mais no destino do Ka-52. A produção em série da máquina impõe a necessidade de apoiar a fábrica de helicópteros de Arsenievsk, uma das poucas empresas altamente tecnológicas na região de Primórie, no Extremo Oriente da Rússia.


De fato, a indústria militar é hoje o único ramo na Rússia capaz de desenvolver e de produzir artigos de nível mundial. Em muitos casos, este nível é determinado pelas potencialidades de armamentos russos. Os Ka-52 e Mi-28 são dos melhores helicópteros de combate no mundo e a busca de compromisso foi natural nesta situação.


A necessidade de fornecer equipamentos modernos às Forças Armadas também desempenhou o seu papel. Infelizmente, nem a empresa Rosvertol (Mi-28), nem a Progress (Ka-52) são capazes de produzir em série o número necessário de máquinas de devida qualidade. Nestas condições, apostar num modelo seria protelar os ritmos de renovação da aviação militar.




Porta-helicópteros Mistral serão equipados com armas russas.


Os porta-helicópteros franceses Mistral, que estão sendo construídos para a Frota Militar da Rússia, obterão armamento principal de produção russa. Em cada navio de novo tipo a Frota Militar planeja instalar 8 helicópteros multifuncionais Ka-52K Alligator e 8 helicópteros de transporte e combate Ka-29.


O contrato para a construção de dois porta-helicópteros Mistral no total de 1,2 bilhões de euros foi assinado em junho de 2011. Neste ano planeja-se assinar um contrato para a construção dos outros dois porta-helicópteros, que serão construídos, como se espera, pela Corporação Unida da Construção Naval e pela usina do Báltico.




Leia também:

Bombardeiros Estratégicos Russos
Especialistas chineses explicam por que a Índia e a Rússia desenvolvem em conjunto um caça de 5ª geração.
Índia e a Rússia devem intensificar esforços de construção do seu caça avançado para não perder a corrida para a China.
EUA receia colaborar com propaganda do poderio militar russo.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Exercício naval China-Rússia completa o 3º dia.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 26 de abril de 2012.
 
Exercício Naval China-Rússia. Veja mais fotos.


 Fotos do 3º dia das atividades relativas à parceria proteção naval, cooperação, resgate e uso de armas são realizadas durante o terceiro dia do exercício naval conjunto Rússia-China, que se realiza no Mar Amarelo, a leste da costa da China, em 26 de abril de 2012. [Photo / Xinhua] 

 Comandantes chineses e russos mostram suas forças durante o exercício naval conjunto em Qingdao, Província de Shandong, no leste da China em 25 de abril de 2012. Uma série de exercícios de operação naval foram realizados durante o segundo dia do exercício naval conjunto das marinhas da China e da Rússia na quarta-feira. [Xinhua]

fonte: china.org.cn

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Três grandes potências reunem forças navais perto de ilhas desabitadas.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 25 de abril de 2012.



Este domingo, a Rússia e China começaram exercícios navais conjuntos no mar Amarelo, que coincidiram no tempo com um novo agravamento do litígio territorial entre a China e os seus vizinhos – as Filipinas e o Vietnã.

O objeto da disputa são ilhas e atóis desabitados no mar da China Meridional, que se encontram numa zona muito rica em jazidas subaquáticas de petróleo e de gás.

Seis países do Sudeste Asiático disputam as ilhas do arquipélago Spratly no mar da China Meridional, região onde foram prospetadas ricas jazidas de hidrocarbonetos. O litígio leva sistematicamente ao agravamento de tensão e a tentativas de ocupar as ilhas, recifes e bancos de água.

Em meados de abril, o conflito entre a China e as Filipinas não se transformou por pouco em confrontação militar aberta. Uma embarcação da Marinha de Guerra das Filipinas descobriu barcos pesqueiros chineses perto do banco de Scarborough (Huangyan Dao, para a China). Navios da Guarda Costeira da China, que chegaram em breve ao local, não permitiram aos filipinos prender os pescadores.

No caso de confrontação militar aberta com a China, as Filipinas não teriam hipóteses mas o país é um aliado antigo dos Estados Unidos, que apoiaram Filipinas nesta disputa territorial, enviando para a região navios militares e um destacamento de fuzileiros navais. Ao mesmo tempo, começaram ali as manobras conjuntas das Marinhas dos países referidos com a participação do Japão, Austrália e Coreia do Sul.


A China, naturalmente, não quis ceder e também anunciou o início de manobras nas águas litigiosas. Este fato não deixaria ninguém surpreso se uma terceira potência, a Rússia, não participasse nos exercícios.

Moscou e Pequim não são aliados formalmente, mas efetuam em conjunto as manobras nas proximidades perigosas da Marinha dos Estados Unidos. A China enviou para a região mais de 4000 militares e 16 navios, inclusive 5 destroyers de mísseis, 5 fragatas de mísseis, 5 lanchas de mísseis, um navio de apoio e um navio-hospital. Participam ainda nos exercícios13 aviões e 5 helicópteros de coberta chineses.

A Rússia enviou quatro navios de combate da Esquadra do Pacífico: o cruzador de mísseis Varyag, dois grandes navios anti-submarinos Admiral Vinogradov e Marshal Chaposhnikov, assim como um grande navio anti-submarino da Esquadra do Norte, Admiral Tribuz. Na região encontram-se também dois navios de apoio MB-37 e Pechenga.

Deste modo, perto de algumas ilhas desabitadas, acumularam-se forças navais de sete países, três dos quais são grandes potências.

Ao mesmo tempo, tanto Moscou com Pequim, como Washington em conjunto com seus aliados, asseveram que as suas manobras estavam previstas antecipadamente, não representam qualquer ameaça e não têm nada a ver com a disputa territorial.

Sem dúvida, estas declarações expressam uma certa astúcia, mas é evidente também que três grandes potências perseguem os seus próprios objetivos nesta situação conflituosa.


No caso da China tudo está mais ou menos claro: a vontade de submeter ao seu controle ricas jazidas parece se não justa, pelo menos compreensível. Por outro lado, a China preocupa-se muito com a sua grandeza e não quer ceder nesta situação.

Mas a participação da Rússia neste conflito não declarado parece estranha à primeira vista: em qualquer caso, Moscou não pode pretender a esta região petrolífera. Contudo, a Rússia tem as suas razões não muito evidentes, mas também muito importantes: primeiro, fazer lembrar ao mundo que ela é também uma grande potência, capaz de resolver tarefas político-militares em qualquer parte do mundo e, segundo e o mais importante é demostrar que Moscou e Pequim não são rivais estratégicos e podem cooperar em situações conflituosas.

Mas o aspecto mais interessante do conflito é a motivação dos Estados Unidos. Recentemente, o Pentágono anunciou um plano de intensificar as forças na Ásia. Em conformidade com a nova estratégia defensiva, apresentada no início do ano pelo presidente Barack Obama, os Estados Unidos começam a redistribuir as suas forças no mundo. Assim, foi comunicado sobre uma redução insignificante do contingente militar americano na Europa mas, ao mesmo tempo, as fronteiras da UE, tal como a região do Oriente Médio serão reforçadas com unidades de Defesa Antiaérea.


Uma parte da estratégia militar diz respeito à redistribuição das forças a favor da Região Asiática do Pacífico. A imprensa já publicou suposições que a China poderá reagir ao desdobramento de um sistema de ABM na Ásia tanto que os protestos da Rússia parecerão um jogo inocente.

É possível que a concentração de forças navais de hoje num canto afastado do Pacífico dê início a um grande conflito entre os Estados Unidos e a China e não em torno das pequenas e fracas Filipinas.
A Rússia, participando indiretamente num conflito local, simplesmente aproveita corretamente um momento oportuno para não ficar de lado no próximo grande jogo.

Autor: Dmitri Kontchalovsky

Rússia construirá outro centro espacial na Sibéria para potencializar sua estratégia espacial.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 23 de abril de 2012.
 
Plataforma de lançamento no Cosmódromo de Plesetsk, Rússia.

Rússia prevê construir um novo centro de lançamentos na Sibéria para potencializar sua estratégia espacial, informa em sua edição de  12/04 o periódico Kommersant.

A iniciativa para a criação de uma nova base espacial no território da Federação russa partiu de um decreto do presidente Vladimir Putin de 6 de novembro de 2007. Putin não deixou desde então de recordar a importância estratégica desta infra-estrutura, afirmando que “se trata de um dos projetos de maior envergadura e mais ambiciosos da Rússia de hoje”.


Se trata de uma afirmação com a qual é difícil não estar de acordo. Sobre todo se temos em conta que a base espacial de Plesetsk do Ministério da Defesa russo não é utilizada para o lançamento de vôos tripulados e que o centro espacial de Baikonur, apesar de ter firmado um contrato de arrendamento com o Cazaquistão por 50 anos, não está situado no território russo. Esta última circunstância parece ter sido chave para a criação do novo centro espacial Vostochny.


A nova base espacial surgirá nos terrenos do antigo cosmódromo Svobodny, situado na cidade secreta de Uglegorsk na província de Amur. A construção do novo complexo espacial está prevista para um prazo de oito anos. Para um projeto destas dimensões se trata de um prazo relativamente curto já que as tecnologias empregadas nele, mesmo passando esses oito anos, seguiram sendo as mais avançadas a nível o mundial.



O centro espacial de Vostochny se situará, além, no centro da ‘Estratégia de Desenvolvimento do Setor Espacial até 2030’, um documento que marca para a agencia espacial russa Roscosmos as linhas mestras de atuação para os próximos anos. Assim acredita o principal responsável da Roscosmos, Vladimir Popovkin, que tem por certo que 2012 é um ano decisivo para que a base de Vostochny esteja operacional se se seguirem os prazos previstos.


O projeto de Vostochny não pode deixar de ter consequências no centro espacial de Baikonur. Romper o contrato de arrendamento que tem firmado até 2050 é uma opção que as autoridades russas não pretendem inclusive quando Vostochny estiver a pleno rendimento. Cazaquistão, por outro lado, não oculta sua insatisfação pelo valor que a Rússia paga por Baikonur (uns 115 milhões de dólares ao ano).

Clique na imagem para ampliar.

Dado que as condições técnicas de Baikonur no dia de hoje não são as melhores, não faria muito sentido a Rússia investir na modernização do cosmódromo cazaque. Sobre todo se a base espacial de Vostochny permite às autoridades russas livrarem-se dos potenciais riscos políticos de ter o centro mais importante de lançamentos espaciais no território de outro país.


fonte: Ria Novosti

quarta-feira, 25 de abril de 2012

China pretende desenvolver trens de alta velocidade ainda mais rápidos.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 20 de abril de 2012.

Foto mostra trem de alta velocidade em fase de testes de Beijing a Tianjin em 31 de Julho de 2008. 
foto: buildaroo.com
 
China otimizará as tecnologias relacionadas a elevar a velocidade de seus trens de alta velocidade, segundo um comunicado dado a conhecer na quarta-feira pelo Ministério da Ciência e Tecnologia do país.

Até fins de 2012, China concluirá a construção de 16.000 quilômetros de vias para trens de alta velocidade, estipula o plano especial para o desenvolvimento da tecnologia de trens de alta velocidade do país, durante o período do XII Plano Quinquenal (2011-2015), publicado na página web da mencionada agenda.

O plano tem como objetivo assegurar o desenvolvimento sustentável da tecnologia chave dos trens de alta velocidade e também fortalecer a segurança de suas vias sobre a base da inovação independente.

Segundo o documento, se requerem esforços para melhorar as tecnologias sistemática, inteligente e de economia energética dos trens de alta velocidade. O programa também revela que a China investigará e desenvolverá os produtos relacionados ao trem de alta velocidade para a exportação.

Mas mesmo assim, o plano fixa metas para a investigação e inovação em matéria de tecnologia de motores magnéticos permanentes para o sistema de electricidade dos trens, ao que, de acordo com Ding Rongjun, especialista da Academia de Engenharia da China, contribuiria consideravelmente à economia da energia.

Simultaneamente, esta tecnologia inteligente permitiria dirigir o controle de velocidade dos trens, a avaliação das condições e as operações de detecção de falhas de modo digital, expressou Ding, citado pelo diário local Beijing News em sua edição de quinta-feira (19/04).

fonte: China.org.cn

Navios de guerra russos partem de Vladivostok para participar de exercícios navais conjuntos com a China.

 Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 16 de abril de 2012.

  
Editor: Rui Dong – agência de xinhua

Quatro navios de guerra da Frota do Pacífico da Rússia, acompanhados por seus respectivos navios de apoio, aviões de combate, helicópteros e tropas da infantaria da marinha, partiram da cidade russa de Vladivostok neste domingo para participar dos exercícios militares em conjunto com as forças navais da China.

Espera-se que os navios de guerra russos – entre eles o cruzador de mísseis guiados "Varyag" e os três grandes anti-submarinos "Marechal Shaposhinikov", "Almirante Panteleyev" e "Almirante Vinogradov" – cheguem à China no próximo domingo para participar nas manobras militares que estão programadas entre os dias 22 e 27 de abril nas àguas do mar Amarelo.

Mais de 20 navios de guerra e apoio da Rússia e da China participarão em destes exercícios.

Desde 2005, China e Rússia tem levado a cabo vários exercícios militares conjuntos no marco da Organização de Cooperação de Shanghai (OCS).

fonte: China.org.cn

terça-feira, 17 de abril de 2012

Estados Unidos planejam fabricar drones nucleares.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 16 de abril de 2012.


Estados Unidos têm planos de fabricar uma nova geração de aviões não tripulados (drones) de propulsão nuclear, capazes de voar durante meses e executar missões de bombardeio em massa sem a necessidade de reabastecimento.

Segundo as ordens do Pentágono, o consórcio armamentístico Northrop Grumman e os laboratórios Sandia National, principal agência governamental para investigações e desenvolvimento atômico, se encarregará da fabricação de tais equipamentos.

Chris Coles, do fórum Drone Wars UK, tem criticado o novo projeto de Washington pela insegurança que resulta em comparação com os aviões tradicionais, alegando que os drones tendem a cair com mais facilidade.

O uso bélico dos aviões não tripulados, iniciado no mandato de George W. Bush, tem aumentado consideravelmente durante a administração do atual presidente estadounidense, Barack Obama, no Afeganistão, Paquistão, Yemen, Somália e em outros territórios.

Mesmo assim, a Defesa norte-americana busca conseguir a autorização da Administração Federal de Aviação (AFA) para legalizar o sobrevôo das naves não tripuladas em territorio nacional.

Apesar de o Departamento de Defesa dos Estados Unidos ter constatado reiteradas ocasiões que os drones têm como objetivo combater aos grupos terroristas, entre eles a Al-Qaeda, as estatísticas afirmam que os civis são as principais vítimas dos ataques aéreos excutados por este tipo de aeronaves.

fonte: Iranews

domingo, 15 de abril de 2012

América Latina pode se converter na região mais dinâmica do mundo.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 14 de abril de 2012.

 Especialistas consultados para o informe anual de competitividade do Fórum de Davos crêem que a próxima década pode ser "a década da América Latina" por seu potencial e se a região souber enfrentar seus desafios, em especial a insegurança. México, Chile, Peru e Brasil recebem elogios especiais.

(SPANISH.CHINA.ORG.CN) – A América Latina está se recuperando da crise internacional com sinais de força econômica, enquanto que os países desenvolvidos estão estagnados e os asiáticos começam a mostrar esgotamento de seu potencial, segundo um informe anual sobre a competitividade publicado durante o Fórum Econômico Mundial que se celebrará na localidade suíça de Davos.

Assim, segundo o documento, a década que vem poderia ser “a década da América Latina” e converter à região na mais dinâmica e competitiva do mundo.

Mas para isso tem que enfrentar seus muitos desafios. Por enquanto, em termos de competitividade mundial, a América Latina segue tímida. Chile é o primeiro país da região que aparece na lista, no posto 31º. Os dois primeiros postos estão ocupados, respectivamente, por Suíça e Singapura.

Não obstante, os países latino-americanos registram notáveis progressos. O informe, por exemplo, louva a capacidade de inovação do Brasil; o sistema financeiro e as facilidades para a criação de empresas no México; o controle do déficit público e os preços no Peru ou a estabilidade que proporciona ao Chile os investimentos de capital de risco.

Em geral, os especialistas consultados para este informe consideram louvável a estabilidade macro-econômica da região e o crescimento e potencial do seu mercado interno. Além disso, o interesse da China pelas matérias primas latino-americanas está contribuindo a reduzir a excessiva dependência da região aos Estados Unidos, um ponto que se valoriza muito positivamente.

Frente a estes aspectos positivos, os especialistas também sinalizam uma série de metas pendentes que devem ser desafiados para que haja a elevação do dinamismo da América Latina, destacando a falta de segurança e a violência (especialmente na América Central).

Outros fatores que precisam melhorar são o sistema institucional, os investimentos em educação – com a finalidade de impulsionar a inovação- e o desenvolvimento das infra-estruturas, assim como os baixos níveis de produtividade dos trabalhadores.

sábado, 14 de abril de 2012

Armênia oferece seu território para radar russo de defesa anti-míssil.


Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 13 de abril de 2012.



A Armênia está disposta a oferecer seu território para que a Rússia instale ali um radar de alerta antecipado de lançamentos de mísseis, declarou no dia 4 do corrente mês o primeiro ministro armênio, Tigrán Sarkisyan, em uma entrevista ao diário russo Kommersant.
As conversações a respeito poderiam iniciar-se, se a Rússia não conseguir um acordo com o Azerbaijão sobre a prorrogação do arrendamento do radar de Gabala, afirmou Sarkisyan. “Creio que inclusive que pode haver vantagens, visto que a Armênia é um país montanhoso. A cobertura seria mais ampla”, disse.
Instalado em território azerbaijano com a finalidade de detectar lançamentos de mísseis balísticos, o radar de Gabala formou parte do sistema de defesa anti-míssil na União Soviética e que a Rússia seguiu usando também no período pós-soviético. Em 2002 firmou com o Azerbaijão um contrato de arrendamento que vence no próximo dia 24 de dezembro. O Ministério russo da Defesa mantem negociações para prolongar-lo e espera terminá-las até junho.
Fontes da Defesa e da chancelaria russa citadas por Kommersant em março passado afirmaram que Azerbaijão pretende subir o valor do arrendamento de sete para 300 milhões de dólares anuais.

EUA disposto a oferecer à Rússia garantias políticas por escrito sobre o escudo anti-mísseis

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 13 de abril de 2012.


Os Estados Unidos está disposto a conceder a Rússia garantias políticas por escrito de que seu escudo anti-mísseis não será apontado contra as forças estratégicas russas, afirmou a subsecretária de Estado dos EUA para o controle de armamento e segurança internacional, Ellen Tauscher.

“Os EUA está disposto a dar estas garantias por escrito na ocasião de um formato político que abrirá o caminho à cooperação prática com Moscow no âmbito da defesa anti-mísseis”, afirmou Tauscher numa entrevista com o diário russo Rossiyskaya Gazeta publicada este quarta-feira.


Segundo a diplomata norte-americana, Washington além disso colaborará para que a OTAN ofereça à Russia garantias similares dentro do formato de cooperação bilateral no âmbito da defesa anti-mísseis. 

clique na imagem para ampliar.
Tauscher também recordou que o seu país não pode aceitar as restrições ao sistema de defesa anti-misseis: ainda que cooperando com os EUA e a Aliança Atlântica a Rússia poderá comprovar que o objetivo do escudo anti-misseis na Europa não é arruinar o potencial nuclear russo.

Russia e a OTAN fizeram acordos de cooperação no projeto do escudo anti-misseis durante a cúpula de Lisboa que se celebrou em novembro de 2010. No entanto, as negociações culminaram estancadas por falta de garantias vinculantes de que o sistema não será dirigido contra o potencial estratégico da Rússia.

O presidente russo, Dmitri Medvédev, anunciou em novembro passado medidas de caráter técnico-militar e diplomático com que Rússia responderia à instalação do escudo anti-misseis na Europa.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

China prepara sua missão espacial tripulada.


Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 10 de abril de 2012.

Pequim, (Prensa Latina) A nave espacial chinesa Shenzhou-IX encontra-se no Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, no noroeste do país, como novo passo nos preparativos para sua missão tripulada de acoplamento com o módulo Tiangong-1.

A montagem da nave e seus veículos associados concluiu-se, enquanto espera-se a entrega de seu foguete transportador, a Longa Marcha-IIF, ainda em etapa de provas, informou um porta-voz do Programa Espacial Tripulado, citado por meios de imprensa.

Segundo o anunciado, a Shenzhou-IX será enviada ao espaço entre junho e agosto próximo com três taikonautas a bordo, que viverão e realizarão experimentos dentro do referido módulo.

Nesta missão a nação asiática porá a prova sua tecnologia de acoplamento manual, ao vencer exitosamente as manobras automáticas em novembro passado entre Tiangong-I e a Shenzhou VIII, naves lançadas em 29 de setembro e 1 do seguinte mês, respectivamente.

Shenzhou-VIII regressou em 17 de novembro último, enquanto Tiangong-I permanece em órbita na espera de novas missões de acoplamento com seus similares IX e X.

fonte: Iran News

segunda-feira, 9 de abril de 2012

A guerra pelo controle total sobre as pessoas – o que fazer?

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 7 de abril de 2012.

O valor da Liberdade, a eterna vigilancia.
Esta publicação foi dividida em quatro partes. Traduzido do original War for Total Control

O QUE VOCÊ VAI FAZER?

Aconteça o que acontecer de agora em diante, o planeta Terra depende de como grande parte dos dois ou três bilhões de “sortudos” que voluntariamente se integraram ao ciberespaço através de PCs, laptops, blackberries, websites, telefones celulares, etc, tornam-se conscientes dos graves perigos que enfrentam todos nós. Quão rápido eles começam a tomar medidas defensivas de dentro do ciberespaço, especialmente através da identificação e tirando partido dos seus inumeráveis pontos fracos.

Como um amigo disse uma vez, “se a globalização pode ser comparada a um balão, então você só precisa do ponto microscópico de um alfinete afiado para explodi-lo …” Cada um de nós deve tornar-se os tais “alfinetes microscópicos.”
Enquanto escrevo, a infra-estrutura de vigilância e controle pode ler este artigo, enredar a minha localização a partir dos seus satélites, usando o telefone celular no meu bolso como um transponder de GPS, espiar o que eu leio, escrevo e navego no meu laptop, e Deus sabe o que mais .

Desde 20 anos ou mais, o Projeto da Agência de Segurança Nacional do Echelon pode espionar os nossos telefones e e-mails, visando palavras específicas usadas em bilhões e bilhões de mensagens e textos – “bomba”, “ataque”, “Islã”, “muçulmano”, ” nuclear “,” químicos “e” biológicas “são apenas algumas das palavras e seqüências que Echelon pode bisbilhotar em (provavelmente eles estão fazendo isso agora, enquanto escrevo e enquanto você lê!). Seja o que for que eles possam fazer hoje certamente excede a nossa imaginação.

O preço da liberdade: os alvos reais - perda, dos direitos civis e do amparo da constituição americana.
Isto já não é apenas a “infra-estrutura nacional de inteligência” que mede a CIA, FBI, FEMA, Segurança Interna, DARPA, Exército, Marinha e Força Aérea de Inteligência, e os seus similares em outros países. Isto agora abrange empresas privadas que recolhem os dados, os organiza, procura e encontra padrões específicos (comportamentos, contatos, interesses, intenções, geografias e uma infinidade de outros) através dos quais esperam poder exercer o seu sonho há muito procurado de controle total sobre as populações que fazem parte do seu Sistema Global (o resto é tão bom se estiver morto).

Microsoft, Facebook, Google e uma vasta gama de segurança, inteligência, TI, empresas de coleta de dados estão todas em conexão com as redes cada vez maiores que juntam, os dados descobertos e capacidades em matrizes complexas de auto-sustentação e estruturas em evolução, aquela mentira fora do alcance visual até de governos, pela simples razão de que os governos não podem sequer começar a entender essas capacidades, poderes e projeções futuras.

Alguém realmente acredita que Barack Obama, David Cameron, os senadores, representantes e membro do parlamento dos governos dos Estados Unidos ou britânicos têm uma verdadeira pista quanto ao que a Agência de Segurança Nacional, em conjunto com Google, em conjunto com Boeing, em conjunto com Northrop, em conjunto com Halliburton, em conjunto com a Apple, em conjunto com Mossad, MI6, e empresas de fachada da CIA, juntamente com as principais universidades e think tanks, juntamente com…. estão realmente em desenvolvimento?

Congresso ou Parlamento pode aprovar mais leis para “controlar” algo que eles mesmos não conseguem entender e, mesmo se fossem para promulgar legislação que limita, até então a tecnologia terá evoluído ainda mais, facilmente wiggling seu caminho para fora destas leis.

O Congresso ou o Parlamento pode aprovar mais leis para ‘controlar’ algo que nem eles mesmos conseguem entender e, mesmo que ordenassem uma legislação restritiva, até lá a tecnologia já terá evoluído mais além disso, facilmente meneando o seu caminho para fora de qualquer destas lei.
QUEM É QUE MANDA?

O que nos leva à questão fundamental: quem está no comando? Quem realmente dirige a Austrália, a Grã-Bretanha, a França e a Alemanha? O Japão, a Índia e o Brasil? Os EUA e o Canadá? A Argentina e a África do Sul? Até mesmo Israel??
Vemos “líderes eleitos” acessando os altos cargos no governo usando os “democráticos” mecanismos de votação do século 19, que são todos controlados por um século 21 de alta complexidade tecnocrática sobre o mundo, incorporado dentro do governo dos EUA, do Reino Unido, da UE e a maior parte dos outros países. Funciona de dentro desses países – mesmo usando o poder militar dos EUA e países da OTAN – mas de modo algum os faz estar atentos, apoiar ou dar resposta aos interesses desses povos. Foram realmente os EUA, Grã-Bretanha e França, que invadiram e destruíram o Iraque, o Afeganistão e agora a Líbia? Ou existe algo muito mais ardiloso e poderoso embutido dentro deles, mas controlado de uma maneira a partir de hoje completamente ultrapassada, corroída, fatalmente enfraquecida – e seguindo nesse ritmo – logo irá desaparecer a ‘soberania do Estado-Nação’?

É tempo de darmos os saltos necessários de quantidade que vai nos permitir começar a juntar os pontos. Precisamos nos afastar dos paradigmas da mentalidade de casulo, e seguir para uma Weltanschauung muito mais holística. Ficamos demasiadamente ‘especializados’, isso nos leva ao estreitamento da mente. Falamos sobre finanças mas nunca juntamos os pontos sobre o harmônico geopolítico. Falamos sobre a política mas somos cegos a forças sociais fundamentais. Pensamos que Hollywood é só ‘sobre o entretenimento’, não percebendo como eles implantam idéias e modelos de comportamento na nossa psique coletiva.

Sobrecarga de informações e dados geram confusão, como ficamos esmagados por trillões de bits de dados que afundam os nossos cérebros cada dia, a hora, o minuto e o segundo. Uma dica saudável: tome a sua distância adequada e de perspectiva para que todos possamos começar a ver o grande retrato. Só então vamos poder descer até o detalhe mais fino, porque a floresta é muito, muito mais importante do que a árvore… pelo menos nesta fase em que todos nós precisamos de vir a enfrentar uma questão que deve ser cada vez mais elevada em sua mente, não importa onde você vive ou quem você é: o que na Terra está acontecendo?

É melhor encontrar as respostas rapidamente, porque nós estamos rapidamente chegando a uma bifurcação histórica de proporções mundiais na estrada do destino humano. Nos elevamos sobre o alto caminho que leva a evolução humana o que implica necessariamente a destruição dolorosa, mas necessária da Elite do Poder Global e todos os que a apóiam, consolidam, fortalecem e dão combustível ao seu crescimento, ou… vamos caír na estrada baixo em um abismo escuro de morte, destruição, hipnose em massa, e o fim do espírito humano, uma visão muito próxima do que os homens ao longo dos tempos têm descrito como o Inferno…

Que caminho você vai tomar? Ainda podemos tomar a decisão certa. Não há, no entanto, muito tempo.

Autor: Adrian Salbuchi

Traduzido para a publicação em dinamicaglobal.wordpress.com
Do original em inglês:War for Total Control

domingo, 8 de abril de 2012

A vigilância global sobre cada indivíduo do Planeta.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 7 de abril de 2012.



Esta publicação foi dividida em quatro partes. Traduzido do original War for Total Control

O BIG BROTHER ESTÁ OLHANDO VOCÊ…

Países que normalmente se acredita que são bastiões da liberdade e da independência – Reino Unido, Canadá, Austrália ou Nova Zelândia – são excelentes exemplos de vigilância em massa. Faça um passeio através de Londres e uma rede vasta e onipresente de vários milhões de câmeras CCTV estará observando cada movimento seu em aeroportos, estações ferroviárias e do metro, cruzamentos de rua, lojas, paradas de ônibus, shoppings, estradas, parques, pontes, condomínios, edifícios públicos, escritórios particulares, serviços públicos, banheiros públicos, cabines de pedágio… Onde quer que esteja em Londres, alguém está te observando… muito de perto.

Naturalmente, tudo isso é feito em nome da “segurança nacional”, que tornou-se uma cortina de fumaça para a percepção da elite política e empresarial ” para que a crescente consciência pública não represente uma ameaça real para os seus interesses.

Na Austrália, o Big Brother é difícil no trabalho, não é surpreendente já que a Austrália respondeu ao 11 de setembro com extraordinárias medidas legislativas. Na década que se seguiu, o Parlamento Federal da Austrália promulgou 54 peças de legislação anti-terrorismo, 48 das quais foram passadas sob o governo de Howard, uma média de uma lei anti-terrorismo nova a cada sete semanas.

Os números são impressionantes:. o professor canadense Kent Roach descobriu que “a Austrália ultrapassou o Reino Unido, os Estados Unidos e o Canadá no número absoluto de novas leis anti-terrorismo que promulgou desde 11 de setembro de 2001. Na Austrália a hiper-legislação fragilizou a capacidade da oposição parlamentar e da sociedade civil para acompanhar, sequer uma oposição eficaz para uma saída implacável legislativa. ” Todos trazido para você pela Organização de Inteligência de Segurança Australiana (ASIO).

A legislação da Austrália inclui a lei de Emenda de Legislação de Serviços de Inteligência e Intercepção de Telecomunicações, e a Conta 2011 da Emenda de Legislação de Serviços de Inteligência que fortalece e aumenta os poderes da ASIO para conduzir a vigilância marítima e chegar a organizações como o WikiLeaks, visando alguém que faz campanha em questões políticas e sociais.

‘SABEMOS QUEM VOCÊ É…’

Novas tecnologias também podem em breve fazer impressões digitais de uma coisa do passado. O reconhecimento de veia representa um método muito mais exato para identificá-lo do que scanners tradicionais de impressão digital ou leitores biométricos devido à sua baixa taxa de aceitação falsa de 0,001%. Usando luz para penetrar no dedo de usuários para ler os moldes da veia que são únicos e penso que isso seja impossível replicar, este método é totalmente a prova de idiotas como a modificação de estruturas da veia depois da morte, o que significa que os dedos separados não podem ser usados para enganar os leitores.
Então há reconhecimento facial, onde a Toshiba lançou recentemente uma nova variedade de televisões LED iluminados (back-lit) em 2011, inclusive o modelo WL800A que usa o reconhecimento facial. Na próxima vez você estiver navegando na Internet ou falando no Skype, hmmm … ‘sabemos quem você é, onde você está e o que você está fazendo…’

Achados e Perdidos: “dona Ana: Encontramos a caixa preta do seu marido desaparecido…”

Os implantes de microchips para monitoramento pessoal e ID estão ficando cada vez menores, e cada vez mais injetáveis sem que você nunca sequer perceba. A próxima vez que uma crise de Gripe Suína ou aviária ocorrer, não se deixe ser estimulado a vacinar em massa a sua família. Michael G Michael (University da Escola de Sistemas de Informação e Tecnologia de Wollongong, Austrália), cunhou o termo “uberveillance” para descrever a tendência emergente da abrangencia da vigilância, explicando que “Uberveillance não está do lado de fora olhando para baixo, mas no interior de nós olhando para fora através de um microchip que é incorporado em nossos corpos. “

Os VeriChip da empresa privada oi-tech dos EUA amplamente vendem nano-chips implantáveis que fornecem um número de identificação único de 16 dígitos em seres humanos ‘para fins médicos e objetivos de segurança, concentrando-se em pacientes de alto risco e na necessidade de identifica-los e os seus registros médicos em caso de uma emergência.’ Para acalmar qualquer medo eles também explicam que eles não sabem quando ou se alguém desenvolverá um microchip implantável com a tecnologia GPS, mas que ‘essa não é uma aplicação que estamos buscando.’ Michael explica que tais chips implantáveis ficarão como ‘uma caixa preta que então será testemunha dos nossos movimentos reais, palavras – possivelmente até os nossos pensamentos – e desempenhará um papel semelhante à caixa preta colocada em um avião.’ Ele também prevê implantes de microchip e a sua infraestrutura poderia eliminar a necessidade de passaportes e etiquetas eletrônicos, e cartões de identificação seguros, acrescentando que o ‘microchipear… acabará se tornando obrigatório no contexto da identificação dentro do quadro da segurança nacional. Por agora, o seu telefone móvel atua como um receptor-transmissor passivo da identificação de freqüência de rádio (RFID) leitores.

OLHA O PASSARINHO …

Não surpreendentemente, aplicações militares estão onde trilhões de doláres para a ultra-oi-tech estão indo. Agora temos drones tão pequenos como percevejos. Em um artigo recente publicado no The New York Times aprendemos que a Base da Força Aérea de Wright-Patterson dos militares dos EUA em Ohio executa um laboratório de vôo apelidado de “microaviary”, onde drones desenhados para reproduzir a mecânica de vôo das mariposas, gaviões e outras criaturas estão sendo desenvolvidos . “‘Estamos vendo como você poderia se esconder em campo aberto”, disse Greg Parker, como engenheiro aeroespacial, ele executou o voo de falcão mecânico que no futuro poderia realizar espionagem. ” Hoje, o Pentágono tem cerca de 7.000 drones aéreos explicou Ashton Carter B, comprador de armas do Pentágono, chefe e membro do Conselho de Relações Exteriores de Nova York(CFR).

Grã-Bretanha: espião Big Brother pode pairar bem acima da sua casa.

“Em fevereiro de 2011 pesquisadores revelaram um drone beija-flor, construído pela empresa AeroVironment para a secreta Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA), que pode voar a 11 milhas por hora e pousar em uma janela… um dos menores drones em uso no campo de batalha é o corvo de três pés de comprimento que as tropas no Afeganistão utilizam como um avião modelo para observar sobre a colina mais adiante. “




Então temos nova tecnologia “Gorgon Stare” que pode capturar vídeos ao vivo de uma cidade inteira, mas requer 2.000 analistas para processar os dados alimentados partir de um único drone em comparação com 19 analistas por drones hoje. Também podemos esperar um crescimento maciço dos exércitos de analistas de vigilância militar representando o “novo maravilhoso trabalho da profissão em defesa nacional.”

UMA NAÇÃO DE COVARDES

O mesmo New York Times continua a dizer, “dentro das forças armadas, ninguém contesta que drones salvam vidas americanas. Muitos os vêem como versões avançadas de “sistemas de armas stand-off”, de reserva, como tanques ou bombas lançadas de aviões, que os EUA tem usado por décadas. “Há uma espécie de nostalgia para fazer as mesmas guerras de sempre”, disse Deane-Peter Baker, um professor de ética na Academia Naval dos EUA, referindo-se às noção nobre de cavalheirismo em conflito. Drones são parte de uma era pós-heróica, disse ele, e em sua opinião, isso não é sempre um problema se eles abaixarem ao limiar da guerra… éticos militares admitem que os drones podem converter a guerra em um jogo de vídeo, infligir baixas civis, sem colocar diretamente os americanos em risco, e assim mais facilmente tirar os EUA dos conflitos. “

Isto está de acordo com a Doutrina Powell, elaborado pelo general Colin Powell (CFR), após a Primeira Guerra do Golfo que afirma, entre outros conceitos, que os EUA só devem se envolver em conflitos militares onde a influência militar esmagadora seja garantia de vitória completa sobre os cuidadosamente escolhidos mais fracos inimigos. Isso explica por que os EUA (e seu fiel aliado Grã-Bretanha) vão unilateralmente atacar o Afeganistão e o Iraque, mas não a China ou a Rússia, ou por que os EUA (e a OTAN) impõem “mudança de regime” sobre a Líbia, mas não sobre a Coréia do Norte (tão íntima com a China ) ou o Irã (tão perto da Rússia). Isso explica por que na América os “feitos heróicos” incluem invadir a minúscula Granada sob a administração Reagan, em 1984, e o Panamá desarmado o Bush Pai em 1991, bem como o seu apoio inabalável ao Israel “nuclear armado aos dentes” contra lançamento de foguetes de palestinos.
Claramente, uma escancarada “doutrina” de tão desprezível e desavergonhada covardia ainda não foi promovida por qualquer nação. Lá estão, sem dúvida, as sementes da mentira que vem da América e dos seus aliados-chave: tornaram-se nações gananciosas e corruptas governadas por Chefes de Estado covardes.

Autor: Adrian Salbuchi

Traduzido para a publicação em dinamicaglobal.wordpress.com
Do original em inglês:War for Total Control

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Novidades tecnológicas que trazem as correntes da escravidão.

Publicado por dinamicaglobal.wordpress.com em 5 de abril de 2012.


Esta publicação foi dividida em quatro partes. Traduzido do original War for Total Control

Colocando as correntes da escravidão.

Um século atrás, o revolucionário soviético Vladimir Lenin disse que os capitalistas estariam um dia vendendo para os comunistas as cordas com as quais o comunismo iria pendurá-los. Bem, não muito, na verdade, uma vez que acabou sendo o contrário com os comunistas que acabaram pendurando-se com a invisível “corda do capitalismo”, tanto que ficaram fascinados após o fim do mundo bi-polar com o consumismo do Ocidente em massa. Um expressivo e instantâneo cenário, logo após a queda do Muro de Berlim em 1989, foi um “Trabant” brega da Alemanha Oriental ao lado de um poderoso Mercedes-Benz da Alemanha Ocidental. Na verdade, uma imagem que valeu mil palavras!

Vinte e dois anos depois, algo semelhante parece estar acontecendo, só que desta vez é a Elite do Poder Global nos encantando com cordas invisíveis tecnológicas com as quais milhões de pessoas estão prestes a se enforcar, em sentido figurado, é claro. Não que todos nós estejamos fazendo isso ainda, mas quando você olha ao redor no controle crescente massa populacional, o laço está, certamente, sendo equipado confortavelmente em torno de nossos pescoços.

Seres humanos precisam de tempo para se adaptar e lidar com grandes mudanças. Através de dezenas de milhares de anos de história, a mudança ocorreu de forma muito lenta, abrangendo gerações inteiras de modo que a cada nova mudança, as estruturas sociais fossem lentamente adaptadas. Hoje, no entanto, com o advento explosivo das tecnologias da informação, telecomunicações e genética para citar apenas algumas, estamos todos hipnotizados e desejosos de nos tornar parte do ciberespaço Info. Fomos convencidos de que nós realmente precisamos ter a última novidade em telefone celular, iPod, iPad, Internet e TV a cabo / satélite, iPhone e Blackberry, o que potencialmente é uma coisa boa, mas deve ser abordado com cautela discriminar. 

Para eles representa uma espada de dois gumes que pode ajudar a expandir nossa consciência e percepção do mundo que nos rodeia em todos os sentidos da palavra, ou eles podem nos encarcerar involuntariamente em um macro-sistema que tem crescido em um Leviathan com enorme capacidade para controle de cada detalhe de nossas vidas.

A tecnologia está no cotidiano das pessoas nas cidades de todo o mundo.

Como leigo, não vou aprofundar os aspectos técnicos das tecnologias da informação de hoje, porque os outros estão muito mais qualificados a fazer isso, mas posso dizer-lhes isto: todas estas tecnologias não são tão inocentes como eles nos querem fazer crer, ou seja, tão “inocentes” a que idades de 5, 6 ou 7 anos possam ser soltas para brincar com videogames e a Internet como se fossem meros brinquedos. Não é assim! Essas tecnologias devem ser abordadas com no mínimo muita cautela, prevenção e receio como fazemos quando dirigimos nosso carro, sabendo que assim como ele pode seguramente nos levar onde quer que queiramos ir, se nós irrefletidamente acelerarmos o motor até 250 km/h, também pudermos matar nós e outros.

Da mesma forma, esta espada de dois gumes pode servir para vencer a Elite do Poder Global, tornando-nos conscientes das suas intenções e suas terríveis consequências de médio e longo prazo, ou pode servir-lhes para cortar nossas gargantas. De fato, essas mentiras de monstro com cabeça de Janus está equidistante entre eles e nós. Objetivamente, ou eles ganham e nós perdemos, o que significa que o mundo vai ser dirigido por máquinas que eles controlam ou, utilizamos estas tecnologias para reunir o poder esmagador de Nós, o Povo, para aniquilar a Elite do Poder Global. Onde é que a diferença está..? Na nossa consciência.

A Elite do Poder Global sabe muito bem o que está fazendo enquanto a maioria das pessoas não sabe, e eles farão tudo ao seu alcance para mantê-las nesse caminho. Aqui, então, estão dois exércitos globais enterrados em cova um contra o outro. ‘Nesta esquina…’ uma elite muito pequena mas extremamente poderosa que controla uma enorme máquina ao seu benefício e a nossa escravização. “Naquela esquina…”, as massas gigantescas de pessoas a maioria delas desconhecem usando a mesma máquina mesmo, mas sem entendê-la, nem perceber o que está realmente sendo utilizado.

Está hoje tão incorporada à sociedade que, cada vez mais, cada aspecto de nossas vidas é controlado por ela: quer se trate de trabalho feito na Internet, Intranets, E-Trade, gerenciar sua conta bancária, reservar o seu próximo voo, imprimir seu cartão de embarque, fazer investigação e esclarecimento de fatos, ou simplesmente o entretenimento enquanto vai passando longo tempo. É uma moeda da qual nos está sendo sistematicamente mostrado apenas o lado das “cabeças”, ou seja, todos os benefícios, a magia, o conforto e as vantagens de ser viciado-in e on-line. “A vida é muito mais fácil agora …” No entanto, não é mostrado o lado da “cauda” que representa um perigo escuro e que espreita: Controle Total. O ciberespaço da informação representa uma super estrutura para o controle total contra o qual os indivíduos podem fazer pouco para escapar, a menos que a alvorada da consciência surja com eles.

A principal arma usada contra todos os povos em cada país é a PsyWar – Guerra Psicológica – que tem com sucesso: a) incorporação de dois, talvez três bilhões de pessoas no ambiente de TI no ciberespaço permitindo cultivar o controle parcial / total sobre eles, e (b) convencer bilhões de pessoas a aceitar isso de boa vontade. 

O resto da Humanidade – os outros 3 ou 4 bilhões são “comedores inúteis”, como David Rockefeller uma vez os chamou – apenas não contam porque são demasiadamente pobres desprezíveis e não fazem parte de qualquer “mercado”, não há literalmente nada que o Sobremundo Corporativo possa vender a eles. 

Assim, eles estão implicitamente destinados para o extermínio controlado durante a próxima geração através da guerra, doença, fome, violência urbana, a contaminação do ambiente, desastres “naturais” artificialmente induzidos, ou simplesmente deixá-los definhar.

Uma rápida olhada em algumas das maravilhas tecnológicas que eles têm na loja para nós poderia ilustrar melhor isso:

O olho que tudo vê - um sinal ocultista há muito tempo presente, prenúncio de uma nova era onde a vigilância vai ser constante.

OLHA O QUE VOCÊ DIZ… FAZ… (E PENSA..!)

“Romas / COIN” é uma super vigilância hi-tech militar em massa de civis e projeto de coleta de dados apoiado por empreiteiros da defesa privada dos EUA (notavelmente a Northrop Gruman), think tanks, e a comunidade de inteligência militar e civil dos Estados Unidos, com recursos eletrônicos para monitorar e analisar milhões e milhões de conversas, classificar dados-chaves e, em seguida, reconstruí-los para refletir padrões de comportamento específicos entre indivíduos e grupos de pessoas, que permita projetar os seus futuros planos, paradeiro, metas e ações. Isso fará a “guerra preventiva” e as “prisões preventivas” muito mais fáceis. Por enquanto, grande parte desta massa de vigilância e mineração de dados objetivando povos de língua árabe, não apenas no Oriente Médio / África do Norte, mas em todo o mundo, amarra-se muito bem com a interminável “guerra global ao terrorismo”.

Isso representa um salto quantitativo pela elite do poder global que, até recentemente, tal espionagem hi-tech global só era feito pela Agência de Segurança Nacional, CIA, FBI, MI6 ou Mossad ( que sempre podem ser demonizadas como entidades parecidas a uma moderna Gestapo); agora, porém, temos “amigáveis” nomes conhecidos como Apple, Google, Facebook, Twitter, Microsoft, Pixar / Disney, PointAbout, fazendo toda a espionagem para a Elite. Esta rede corporativa privada é parte do laço invisível que estamos colocando no nosso pescoço.

Autor: Adrian Salbuchi

Traduzido para a publicação em dinamicaglobal.wordpress.com
Do original em inglês:War for Total Control

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology