Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

China programa importantes manobras militares perto do Paquistão para conter as ameaças dos EUA.

Alcance dos mísseis anti-navio DF-21D da China.

Autor: Joseph Watson and Yi Han

O exército chinês  tem realizado manobras militares de grande importância perto do Paquistão para responder ao aumento das tropas americanas na região, já que um alto funcionário do governo chinês advertiu que qualquer ameaça ao Paquistão seria considerada como uma ameaça direta à China.

Citando um informe da televisão central chinesa Junshija, um funcionário anônimo do governo advertiu que “qualquer ameaça para o Paquistão é uma ameaça para a China”, em resposta ao crescimento de hostilidades que Estados Unidos e OTAN dirigiram em direção ao Paquistão, ocasião em que a OTAN matou a 26 soldados paquistaneses a semana pasada.

 O Paquistão tem respondido ao ataque aéreo fechando sua fronteira com o Afeganistão impedindo assim que os abastecimentos cheguem ao país ocupado pelos Estados Unidos.

Sistema Wanshan WS2400 (8x8) com mísseis DF-11.
Foto: www.militaryphotos.net
 Segundo o informe, os Estados Unidos estão concentrando tropas na fronteira paquistanesa em um ato de agressão que a China vê como um ataque direto ao aliado Paquistão. Em resposta a esta situação, a China enviou recentemente no noroeste da meseta, próximo ao Paquistão, grande parte do segundo regimento de artilharia do exército Popular de Liberação (EPL) com sofisticados DF-21C e mísseis táticos de curto alcance DF-11 com a finalidade de realizar exercícios militares importantes cuja meta é mostrar a “atitude da China sobre o que diz respeito a ameaça dos Estados Unidos ao Paquistão”.

 Os exercícios aconteceram de 14 a 27 de novembro e envolveram tropas paquistanesas. Estas informações provêem de várias fontes de noticias chinesas.

 O informe foca especialmente a posição da China afirmando que sua aliança com o Paquistão representa uma “fraternidade” e que a “China nunca estará em paz se o Paquistão se perder”.

 “A nível militar, a China levará a cabo importantes exercícios de combate no deserto do Paquistão o 16”, declara o informe traduzido. “América sempre desejou o Paquistão, especialmente nos últimos anos. Enquanto a guerra americana se prolonga no Afeganistão e as ações militares contra a determinação do Irã se fazem cada vez mais prováveis, a ameaça de confrontação com a China aumentam também, e o Paquistão é o lugar para Estados Unidos obterem uma vantagem militar estratégica e geográfica”.

 Como informado anteriormente, enquanto que a retórica da mídia chinesa em língua inglesa fala de hostilidades sobre o Paquistão e o Irã de maneira moderada, os debates que ocorrem na China se fazem de maneira muito mais bélica.



Representação artística dos sistemas de mísseis chineses DF-11.
Foto: www.redsys.ru
 Em resposta a uma crescente hostilidade ocidental sobre o Irã, o General Zhang Zhaozhong comentou que a “China não duvidará em proteger ao Irã, inclusive sem desencadear-se uma terceira guerra mundial”. Estes comentários provocam muitos debates na China.

 O tema do Irã se discute também no informe dos meios de comunicação chineses. Não se recomenda nenhuma ação militar ocidental no Irã. A China quer exercer uma pressão para este propósito através da demostração de força das suas recentes manobras militares. O embaixador chinês na ONU advertiu ao diretor geral da IAEA, Yukiya Amano, a não criar provas “sem fundamento” para justificar um ataque contra o Irã objetivando deter seu polêmico programa nuclear.


Fonte: http://www.mondialisation.ca/index.php?context=va&aid=27999


EUA e Rússia realizarão simulado anti-terrorista em solo americano.

 Grupos de operações especiais de EUA e Rússia realizarão em maio simulado anti-terrorista em território norte-americano, comunicou hoje o coronel Alexandr Kucherenko, o porta-voz das tropas russas de desembarque aéreo.

 “O território dos EUA foi escolhido como cenário a estes exercícios conjuntos que ocorrerão na segunda quinzena de maio de 2012”, disse Kucherenko.

 Acrescentou que cada parte estará representada por uma unidade de desembarque aéreo e operações especiais, mais chefes militares.

 O objetivo básico do simulado é estimular a interação em operações conjuntas. Militares norte-americanos e russos participarão juntos de um curso de instrução militar, realizarão saltos em para-quedas e competições uns com os outros em um concurso desportivo.

Fonte: http://sp.rian.ru/Defensa/20111216/152246057.html

Leia também:

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology